Era uma vez uma tabela de preços portuguesa….
Era uma vez uma tabela de preços… uma? Americana….
Era uma vez uma tabela… uma? Inglesa, e francesa, e italiana, e espanhola, e dos emirates, e por aí a fora…sim que a locução está em todo o mundo assim como os voice over e os dubradores, ou actores, ou locutores dubradores, o que quiserem! Não interessa agora.
Interessa é a história, que começa com era uma vez uma tabela de preços portuguesa, que ninguém, ou quase ninguém a usava porque começaram a baixar preços etc…etc.. essa é outra discussão…e prometo um dia falar nisso.
Afinal quanto vale um locutor?
Quanto vales tu como locutor? E eu? E o outro que já é um respeitoso/a senhor/a deste mundo tão bonito do microfone?
Afinal, porque tabela tenho eu de me reger? Porque preços, tenho de me cotar?
Em alguns momentos a informação é tanta, o querer ter clientes, é tanto, querer trabalhar é uma ansia tanta, que nos esquecemos de nos dar o devido valor. E vale para quem está, para quem começa e para quem pensa em “ guardar a voz”.
No meio de tudo isto, as inseguranças, tantas dúvidas, tantos medos…Até que já nem sabemos dar-nos o devido valor, e esperamos que alguém no indique o nosso valor, caindo nessa maravilhosa armadilha de baixar os preços de um locutor. E quando digo caímos, digo a maior parte dos locutores portugueses, e do mundo todo! E claro dos estúdios, e ou agências!
E é aqui, que deixamos que o nosso valor, dependa daquilo que materialmente temos. E as coisas ficam confusas.
Afinal, quanto vale um locutor?
Quanto é que tu vales por dia?
Sabes o teu preço?
Sabes a experiência que tens, a formação, o investimento que tens feito nesta profissão que nem sequer é reconhecida como tal no teu país?
Avalia-te. Pois já que as coisas estão como estão, e cada um faz o seu preço, faz o teu também, e sê justo com o teu trabalho. De forma a dignificares a tua pessoa, e quer queiramos quer não, a tua profissão.

Teresa Silva

Don`t copy text!